Foto: Alexandre Barros

A Total Linhas Aéreas opera atualmente em 3 cidades da região norte, Carauari, Coari e Manaus, em contratos de fretamento de passageiros, com aeronaves ATR-42. Além das 3 cidades com transporte de passageiros opera nas cidades de Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Rio de Janeiro (Galeão), São Paulo (Guarulhos) e Vitória com voos de transporte de malotes para os correios.

Desde o final de 2007, quando as operações de transporte regional foram absorvidas pela Trip Linhas Aéreas, a Total vem se dedicando somente aos voos de fretamentos e carga aérea. Naquele ano a empresa chegou a transportar 721 mil passageiros, número bem superior aos 67.474 passageiros transportados em 2017. Também no ano passado registramos queda de 19% no volume de passageiros; 58,6% no volume de carga transportada e acréscimo de 4,34% de correio, comparado com 2016.

Porém, nos cinco primeiros meses de 2018, o volume de passageiros está com queda de 18,32%; 97% de queda em carga aérea e 8,73% de queda no volume de correios, o que não é um bom indicador para a companhia.

A Total iniciou seus voos como empresa de táxi aéreo em junho de 1988. Em 1993 passou a operar como companhia regular de passageiros com uma frota de 7 Embraer 110 e 1 Embraer 120.Total - PT-STNEm 1997 a frota sofreu alterações significativas e passou a contar com 4 Embraer 110, 2 Embraer 120 e 4 ATR-42-300. Voava de Belo Horizonte para várias cidades mineiras além da Rede Postal Noturna.

Em 1998 passou a empregar um ATR 42-300 na Ponte Regional entre Pampulha e Santos Dumont. Esta linha era operada em pool com a Interbrasil, Passaredo e Pantanal.

Em 2000 o Pool com as empresas Interbrasil, Pantanal e Passaredo foi desfeito e a Ponte Aérea entre os Aeroportos de Pampulha e Santos Dumont foi suspensa. Em 2001 recebeu dois Boeing 727-200 para o transporte de cargas e da Rede Postal Noturna, um business que virou o foco da empresa em receita.

Em 2002 passou a voar em linhas da região norte do país e vendeu seu Embraer 120 para a empresa Puma Air. Seus Embraer 110 foram retirados de operação e houve um remanejamento de linhas. Ainda em 2002 recebeu seu terceiro Boeing 727-200 Cargo.

Em agosto de 2004 realizou um acordo com a Tam para atendimento de passageiros em algumas cidades. Sua frota de ATR 42 passou para oito aeronaves. A Total é também um centro autorizado de oficina das aeronaves ATR, da Aerospatiele / Alenia, na América Latina.

Em 31 de maio de 2007 acertou a compra de dez novas aeronaves ATR, sendo seis do modelo 42-500, com capacidade para 50 passageiros e 4 do modelo 72-500, com capacidade para 70 passageiros. O investimento foi de US$ 150 milhões (cerca de R$ 300 milhões).

Em 13 de novembro de 2007 a Trip Linhas Aéreas e a Total Linhas Aéreas protocolaram na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o pedido incorporação das operações regulares de passageiros da Total pela TRIP. A Total permaneceu utilizando 04 aeronaves B727-200 Full Cargo e ainda 04 ATR42-500, de última geração, destinados exclusivamente ao transporte de carga e fretamentos de passageiros, além de manter uma participação no capital da nova Trip.

Em 2011 fechou uma parceria com a empresa JadLog para o transporte de cargas na rota Porto Alegre – Curitiba – Jundiaí.

Total - PR-TTH

De 2014 a 2017 a Total vem apresentando números seguidos de queda de passageiros transportados e carga aérea, porém, vem se mantendo estável no contrato dos correios. Vamos aguardar o decorrer de 2018 para entender qual será o direcionamento estratégico da companhia no setor.

Voos em Operação no Brasil

Frota da Empresa

Publicidade