United Airlines e Continental completam fusão

438

A United Continental Holdings, Inc., anteriormente UAL Corporation, anunciou hoje, sexta-feira, 1 de outubro, a fusão entre sua subsidiária de propriedade integral, a United Air Lines, e a Continental Airlines, Inc. A partir de agora, a Continental Airlines e a United Air Lines, Inc. são subsidiárias em caráter integral da United Continental Holdings, Inc.. A fusão cria uma empresa aérea de classe mundial e caráter global. Também a partir de hoje, as ações ordinárias da United Continental Holdings, Inc. passam a ser negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), sob o símbolo UAL.

A United Continental Holdings anunciou também os nomes dos membros do seu Conselho de Direção, que assumem a partir de 1 de outubro de 2010. O Conselho, de 16 membros, inclui seis membros independentes da United e seis da Continental, Glenn Tilton, que será o presidente não-executivo do Conselho, e Jeff Smisek, que será presidente e executivo-chefe (CEO) da empresa. Os diretores independentes são Kirbyjon H. Caldwell, Carolyn Corvi, W. James Farrell, Jane C. Garvey, Walter Isaacson, Henry L. Meyer III, Oscar Munoz, James J. O’Connor, Laurence E. Simmons, David J. Vitale, John H. Walker e Charles A.Yamarone. Além deles, o Conselho compreende dois diretores representantes de sindicatos, Stephen R. Canale e a comandante Wendy J. Morse.

Tilton declarou: “Trata-se de uma verdadeira fusão entre iguais, aproximando duas companhias fortes e nos colocando em uma posição capaz de obter sucesso na área dinâmica e altamente competitiva da aviação global. Ela nos põe no caminho de criar a principal empresa aérea do mundo, a partir de uma posição forte, com uma das melhores posições do setor em termos de caixa, liderança na área com relação à receita e estrutura de preços competitiva. A partir das duas empresas, temos um excelente Conselho de Direção e uma forte equipe de gestão, e temos as melhores pessoas do setor para transformar em realidade as promessas de grandes produtos e serviços para nossos clientes, oportunidades de carreira para nossa gente e retornos consistentes para nossos acionistas”.

Smisek afirmou: “É com enorme satisfação que anunciamos o término, com sucesso, desta fusão. Com grandes pessoas, uma rede mundial sem paralelos, a melhor lista de encomendas de novos aviões entre as principais empresas aéreas dos Estados Unidos e um compromisso com produtos e serviços superiores, a United está em excelente posição para ter um futuro brilhante. Espero com entusiasmo a oportunidade de atuar em conjunto com meus colegas de trabalho de todo o mundo, no momento em que iniciamos nossa jornada para criar a empresa aérea líder do mundo, capaz de oferecer os melhores serviços de sua classe aos clientes, maiores oportunidades para os funcionários e lucratividade significativa e valores sustentáveis a longo prazo para nossos acionistas”.

Com cerca de US$ 9 bilhões em caixa sem restrições, no fechamento dos trabalhos de ontem, a United espera que a fusão resulte em sinergias líquidas de entre US$ 1 bilhão e US$ 1,2 bilhão por ano em 2013.  Essas sinergias incluem entre US$ 800 milhões e US$ 900 milhões em aumento na receita anual, a expansão das opções para o cliente resultantes do maior alcance e escala da rede, a otimização da frota e a expansão dos serviços tornada possível pela rede mais ampla da empresa aérea combinada. Numa base pro-forma, a empresa combinada terá uma receita anual de US$ 31,4 bilhões, com base nos resultados dos 12 meses encerrados em 30 de junho de 2010.

Publicidade