EADS divulga resultados do primeiro semestre

107

A EADS, líder global nos setores aeroespacial e de defesa, apresentou desempenho consistente no primeiro semestre de 2005, conseqüência direta do aumento de entregas da Airbus e melhores resultados das suas divisões Espacial e de Defesa. A empresa anunciou hoje (27), em Amsterdam, que obteve um lucro operacional (EBIT) de € 1,54 bilhão nos primeiros seis meses deste ano, ou seja, 57% maior em relação ao mesmo período de 2004, € 979 milhões. A margem de EBIT subiu de 6,7% para 9,6%. A EADS publicou hoje seus resultados do primeiro semestre e confirmou sua confiança em que o EBIT do exercício 2005 ultrapasse € 2,6 bilhões. A empresa também aumentou sua previsão de dividendos por ações para o exercício 2005 para €1,50, contra € 1,27 realizado em 2004.

Os CEOs da EADS, Tom Enders e Noël Forgeard, declararam que “em conseqüência dos excelentes resultados no primeiro semestre de 2005, a EADS está preparada para obter um forte crescimento de todo o grupo no exercício deste ano. Nosso plano de negócios será guiado pela prudência e focado na valorização a longo prazo, junto com atenção absoluta à rentabilidade e liquidez”

O forte resultado do EBIT se deve principalmente ao aumento de entrega de aviões da Airbus, que passou de 161 no primeiro semestre de 2004 para 189 em igual período de 2005. O EBIT do primeiro semestre de 2005 foi ancorado em taxas favoráveis de hedge do dólar norte-americano, na média de € 1 por US$ 1,01. A melhora do EBIT também é resultado de melhorias nas divisões Espacial e de Defesa, assim como na maior contribuição da participação acionária de 46,30% na Dassault Aviation. Como sempre, espera-se que os lucros das divisões Espacial e de Defesa da EADS deverão ser maiores no terceiro e no quarto trimestres.

No segundo semestre de 2005, taxas menos favoráveis de hedge em uma cotação média de € 1 = US$ 1,11 e maiores despesas de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) relativas à versão de carga do A380 afetarão o resultado anual de EBIT da EADS. A previsão é que o EBIT de 2005 exceda € 2.6 bilhões.

As despesas de auto-financiamento em Pesquisa e Desenvolvimento diminuíram de € 1,113 bilhão no primeiro semestre de 2004 para € 950 milhões no primeiro semestre de 2005. Isso se deve em grande parte ao início de produção da versão de passageiros do A380 e ao aumento de capitalização de P&D do A380. As despesas de R&D deverão voltar a crescer nos próximos trimestres com o avanço no programa de desenvolvimento do A380 cargueiro.

Hans Peter Ring, diretor financeiro da EADS, declarou: “Nós fizemos progressos consideráveis em nossa cobertura de câmbio (hedge) para 2006 e 2007 ante à valorização do dólar norte-americano nas últimas semanas. Isto garante à EADS mais capacidade para assumir maiores ganhos de produtividade frente a qualquer desafio apresentado pela cotação do dólar norte-americano a longo prazo”.

O fluxo de caixa antes do financiamento a cliente totalizou € 1,5 bilhão no primeiro semestre de 2005 (€ 259 milhões em igual período de 2004). O crescimento de capital de giro para o A380 e o aumento na taxa de produção não afetaram a forte geração de caixa advinda de lucros consistentes e adiantamento de pagamentos de encomendas.

A EADS pagou cerca de € 400 milhões de dividendos aos seus acionistas no primeiro semestre de 2005. Sua posição de caixa atual mostra um crescimento considerável: € 4,7 bilhões contra € 4,1 bilhões referentes ao ano de 2004.

No primeiro semestre de 2005, a EADS registrou o lucro líquido de € 816 milhões, ou € 1,03 por ação (€ 0,48 em igual período de 2004). Este aumento acompanha o crescimento do EBIT, menores custos financeiros e o impacto da valorização do dólar norte americano nos ativos da EADS em dólar norte-americano.

O faturamento da EADS cresceu em todas as suas divisões. O faturamento do grupo cresceu 10% no primeiro semestre de 2005: € 16 bilhões contra € 14,6 bilhões no mesmo período de 2004.

As encomendas da EADS entre janeiro e junho de 2005 chegaram a € 25,4 bilhões, contra € 13,5 bilhões no primeiro semestre de 2004, e refletem o grande aumento de encomendas recebidas pela Airbus e na área de Defesa, como o programa MEADS e o A400M da África do Sul. A carteira de encomendas da EADS nos primeiros seis meses de 2005 é de € 204 bilhões, contra € 184 bilhões em igual período de 2004. Este aumento é em parte devido ao fortalecimento do dólar norte-americano nos últimos seis meses. A carteira de encomendas da EADS continua a ser a maior na indústria aeroespacial e de defesa em todo o mundo.

Com relação aos empregos diretos, no final de junho de 2005 a EADS empregava 111.169 pessoas, contra 110.662 ao final de dezembro de 2004.

FONTE: Aviação Brasil / EADS – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP