Varig inicia operações para a China

91

Desde o último domingo, dia 12.03, está mais fácil sair do Brasil para ir a Pequim ou a Shangai. Após cinco anos de negociação, a VARIG fechou um acordo com a Air China e passa a oferecer mais este destino a seus passageiros. Serão vôos diários, via Frankfurt, com saídas do Rio de Janeiro às 22h40 e de São Paulo, às 22h25. As tarifas irão custar U$ 5.100 na Classe Executiva e a partir de U$ 1.350 na Econômica.

A VARIG tem boa expectativa para atender ao mercado asiático. A parceria com a Air China, é o primeiro passo para fortalecer sua presença no Oriente. O passageiro terá um serviço de qualidade e com a excelência tradicional da companhia brasileira. Outro importante fator é que a China será sede das Olimpíadas de 2008, evento esportivo que deve movimentar milhões de dólares.

O passageiro VARIG irá acumular, na conta do Programa Smiles, as milhas de todo o trajeto da viagem até Pequim ou Shangai, além de poder utilizar bilhetes Smiles nos vôos operados em parceria com a Air China. O acordo também propiciará mais facilidade de acesso a demais cidades chinesas que são importantes centros de negócios.

Primeira e única empresa aérea brasileira a voar para a China, a VARIG fará uma solenidade para comemorar esta conquista. Na programação, está prevista uma homenagem às tradições orientais.

A China ocupa uma posição de destaque na economia mundial graças ao seu intenso crescimento das últimas duas décadas. Com um dos maiores PIBs do mundo, tem uma economia marcada pela forte presença de indústrias transnacionais nas Zonas Econômicas Especiais (ZEEs). No setor agropecuário, o país se destaca entre os maiores produtores mundiais, com atividades que absorvem a maior parte da população economicamente ativa. Em 2001, a China foi admitida na OMC (Organização Mundial do Comércio), reforçando a sua intenção de ser vista como economia de mercado; isso a levou a reduzir o protecionismo e os subsídios, a abrir seu enorme mercado às importações e a permitir investimentos estrangeiros em setores como telecomunicações e bancos. O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 9,9% em 2005, segundo dados fornecidos pelo departamento Nacional de Estatísticas.

Com uma das maiores populações mundiais, o país tem um grande potencial tanto para viagens de negócios ou de lazer. Os laços entre Brasil e China ficaram ainda mais estreitos após a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2004, quando foi assinado um acordo, que permite aos cidadãos chineses a fazer turismo no Brasil. Antes deste documento – ADS – as viagens de chineses para o território brasileiro só eram permitidas para finalidades profissionais, comerciais e de negócios.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP