Absa Cargo adiciona mais três rotas cargueiras domésticas

271

Paralelamente aos planos de ampliação dos vôos domésticos, fomentado pelo crescimento econômico do país, a ABSA Cargo Airline projeta a aquisição de mais uma aeronave – um cargueiro – até o final do primeiro semestre de 2009, para atender unicamente as rotas nacionais.

Já estão em operação os trechos Manaus – Brasília; Brasília – Campinas (VCP) e Manaus – Campinas (VCP) , com saídas às quintas-feiras, e Campinas (VCP) – Recife , saídas às terças-feiras. Há previsão de implantação de mais um vôo na rota Manaus – Brasília em meados do segundo semestre. Até o final do ano a companhia prevê já estar oferecendo aos seus clientes outras três rotas domésticas: Confins (MG) – Campinas (VCP); Vitória – Campinas (VCP) e Campinas (VCP) – Manaus. A expectativa da ABSA Cargo Airline é incrementar suas receitas em cerca US$ 5 milhões por mês, quando todas as rotas estiverem em operação, segundo o diretor de Vendas da companhia, Felipe Meyer.

A direção da companhia acredita que sua participação no mercado de carga transportada via aeroportos de Salvador, Recife, Fortaleza e Natal possa alcançar 15% até o final do ano. Em 2007, juntos, estes aeroportos movimentaram pouco mais de 12 mil toneladas de carga. Atualmente, os produtos mais transportados nos trechos operados pela ABSA Cargo Airline são couro (CE), peixe fresco (RN e PE), eletrônicos (PE) e peças automotivas e insumos (BA). Para facilitar o contato com as empresas locais e garantir que a companhia passe a integrar de forma permanente a carteira dos operadores de cargas que atuam em estados do Norte e Nordeste do país, recentemente a ABSA abriu uma representação na região.

O diretor de Vendas da companhia afirma que a ampliação das rotas domésticas não interferirá no transporte de cargas exportação. Segundo ele, a estratégia usada pela empresa é uma forma de assegurar que o atendimento aos exportadores não seja prejudicado: as rotas domésticas são realizadas com as aeronaves que fazem as operações internacionais quando estas retornam do exterior para o país. Por isso não há redução dos vôos internacionais. “Estamos complementando as rotas internacionais com as nacionais, sem prejuízo para os exportadores”, explicou.

De acordo com Felipe Meyer, a confiabilidade e segurança de operar com aeronaves de última geração e alta performance, que, por isso, requerem menos tempo em solo para serviços de manutenção, são alguns dos diferenciais que a ABSA Cargo Airline tem a oferecer ao mercado nesse momento em que a demanda interna apresenta-se bastante aquecida, com grande oferta de serviços domésticos. A expectativa é que em num prazo máximo de 12 meses a empresa já tenha incorporado em sua frota um cargueiro para operar exclusivamente dentro do Brasil. A intenção é cobrir os principais estados do país.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade