Airbus lidera vendas em 2005

123

O ano de 2005 foi recorde para a Airbus sob todos os aspectos, seja em entregas, vendas ou rentabilidade. Em termos de encomendas, a Airbus continuou a vender mais que seu concorrente pelo quinto ano consecutivo. Em entregas, a Airbus continuou liderando pelo terceiro ano seguido. A Airbus também alcançou uma margem de lucratividade acima do seu objetivo de 10% ao ano.

Em 2005, a Airbus entregou 378 aviões levando as receitas a aproximadamente 22,3 bilhões de euros. Com isso, as entregas acumuladas alcançaram a 4.130 aviões. Em 2005 foram entregues a clientes 289 aeronaves da Família A320 e 89 de fuselagem larga e longo alcance (essencialmente A330 e A340). Isto reflete o rápido aumento nas taxas de produção, para satisfazer à crescente demanda, que ultrapassaram nossos recordes de 305 unidades de 2003 e de 325 em 2001.

Com 1.111 encomendas totais, no valor de cerca de US$ 95,9 bilhões e 1.055 encomendas líquidas, a Airbus manteve sua liderança sob esse aspecto pelo quinto ano seguido. Essas encomendas corresponderam a 52% do mercado como um todo, englobando 918 aviões de corredor único, 166 A330, A340 e A350, 20 A380 e 7 A300 F cargueiros. Portanto, 2005 foi um período melhor que 1998, o melhor ano até então da Airbus, quando ela havia obtido 556 aviões vendidos. As vendas atingidas tanto para a Família A320 como para os A330/A340/A350 em 2005 foram as maiores já alcançadas num único ano para esses produtos.

No final de 2005, o carnê de encomendas da Airbus atingiu a 2.177 aviões vendidos avaliados em US$ 220,3 bilhões, sendo o maior de sua história e o maior da história da aviação comercial. Além disso, é maior que o do concorrente pela sexta vez. Esse carnê de encomendas firmes é o mais elevado já obtido tanto para os A330/A340/A350 (346 aviões) como para a Família A320 (1.652 aviões).

“O ano de 2005 foi recorde para todas a indústria aeronáutica e para a Airbus em particular”, disse Gustav Humbert presidente e principal executivo da Airbus ao anunciar os resultados. “As empresas aéreas nunca haviam adquirido tantos aviões, e isto é um sinal de que elas estão otimistas em relação ao futuro do transporte aéreo. Houve ainda uma série de novas empresas surgindo para oferecer viagens baratas para um crescente número de passageiros. Mas, as vendas do ano também refletiram a necessidade de operar modernos aviões para fazer frente aos crescentes custos dos combustíveis. Estamos contentes de havermos mantido nossa liderança em termos de fatia de mercado. Mas, continuarmos a aumentar nossa taxa de produção baseados no maior carnê de encomendas da história, que assegura trabalho para os próximos 4 a 5 anos mesmo com altíssima taxas de produção.

Em nome de todos os funcionários da Airbus, gostaria de agradecer a nossos clientes por sua confiança e assegurar-lhes que sua satisfação é a nossa principal motivação. E é sob esse aspecto que queremos tornarmo-nos os melhores e sermos reconhecidos como os líderes”.

O ano 2005 teve importantes marcos nos programas, com o lançamento industrial no dia 7 de outubro do novo A350 de longo alcance, para 250 a 300 passageiros. Em com o primeiro vôo do A380 no dia 27 de abril. Os testes do novo avião de dois andares continuam progredindo bem, com os 3 aviões hoje voando já tendo alcançado a 800 horas e 220 vôos. A homologação está planejada de forma a permitir a entrega à primeira operadora, a Singapore Airlines, no fim do ano.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade