Boeing e Norwegian Air Shuttle anunciam a compra de 42 jatos 737 Next-Generation

300

Boeing e a aérea de baixo custo, Norwegian Air Shuttle ASA, anunciaram hoje a compra de 42 jatos Boeing Next-Generation 737-800. A compra está avaliada em U$ 3,1 bilhões, em preços de tabela. A linha aérea também assegurou os direitos pela compra de outros 42 aviões 737-800.

A compra dos 737s de hoje é a maior já realizada por uma empresa Escandinava e a maior vinda de uma companhia européia este ano. Esta compra direta faz parte de um conjunto de decisões recentes da norueguesa, como o leasing de 11 jatos 737-800, já adicionados à frota.

Todos os 737-800s, incluindo estes do leasing, serão contemplados com a avançada tecnologia de winglets mistos, o que reduz o empuxo aerodinâmico e o consumo de combustível o que, indiretamente, também reduz as emissões de carbono.

Sediada em Oslo, Noruega, a Norwegian selecionou o 737 Next-Generation como base para sua frota – que atravessa uma fase de expansão de rotas pela Europa. Com a aquisição recente da FlyNordic, empresa aérea de Estocolmo, a Norwegian agora alcançou a quarta posição no ranking das maiores operadoras de baixo custo da Europa, de acordo com o número de passageiros transportados em 2006. A empresa disse que os novos 737s ajudarão a estabelecê-la como a melhor opção dentre as linhas aéreas de baixo custo com base na Escandinávia.

“Os novos aviões fortalecerão a competitividade da Norwegian nos mercados de aviação da Noruega, países nórdicos e Europa”, disse Bjørn Kjos, CEO da Norwegian Air Shuttle ASA. “E ainda, os aviões são, sem sombra de dúvida, mais responsáveis com o meio ambiente do que aqueles utilizados hoje. Estes aviões reduzirão as emissões de CO2 da Norwegian, nossos custos com consumo de combustível e, ainda, quando comparado a outros aviões, nos oferecem considerável redução nos níveis de ruído”

Numa operação típica da Norwegian Air Shuttle, de 820 milhas náuticas, o 737-800 com winglets mistos emite 22% menos CO2 por passageiro do que sua versão tradicional, o 737-300 Classic – atualmente em operação na Norwegian.

“A confiabilidade, a cabine de passageiros e o baixo custo operacional do 737 Next-Generation nos ajudaram a manter o 737 como nossa preferência no modelo de linha aérea de baixo custo. Sua versatilidade permitirá a Norwegian operar muito mais economicamente em ambas as rotas: longas e curtas”, disse Marlin Dailey, vice-presidente de vendas da Europa, Rússia e Ásia Central da Boeing Commercial Airplanes. “O 737 não mede esforços para manter-se lucrativo para seus operadores. Com a ajuda dos winglets mistos na redução do consumo de combustível, a Norwegian mostra seu compromisso com a redução de impactos ambientais. A Boeing compartilha este sentimento”, conclui Dailey.

A Boeing busca rotineiramente desenvolver produtos responsáveis com o meio ambiente. No caso do 737 Next-Generation, as melhorias aerodinâmicas, a estrutura mais leve e o motor mais potente produzido pela parceria franco-americana CFMI, foram os maiores responsáveis pela melhor performance ambiental, se comparada aos modelos anteriores. Mais de 75% dos investimentos da Boeing destinados à pesquisa e desenvolvimento têm foco em performance ambiental.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP