Bombardier prevê aquecimento das vendas no Brasil

378

O vice-presidente de vendas internacionais da canadense Bombardier Aerospace, Jahid Fazal-Karim, acredita que o mercado brasileiro de jatos irá crescer em vendas num prazo de três a cinco anos.

“O ano passado foi muito fraco, mas neste ano o mercado começou a se estabilizar”, disse o executivo, que não quis adiantar números.Karim veio a São Paulo para anunciar uma parceria com a OceanAir Táxi Aéreo no segmento de jatos executivos.

A parceria exclusiva da Bombardier Aerospace com a companhia brasileira inclui a venda e suporte pós-venda da linha de jatos executivos, que inclui os modelos LearJet, Challenger e Global.

O acordo foi fechado após a suspensão de um contrato de sete anos com a Target Aviation, que representava a Bombardier, concorrente da Embraer, no Brasil. A Target era controlada pelos mesmos acionistas da Transbrasil.

Para Karim, o desempenho do setor em 2002 foi prejudicado em razão das eleições presidenciais e também como conseqüência do cenário de desaquecimento global.

“Se as bolsas de valores não vão bem o setor aéreo também não vai”, disse o executivo. Segundo Karim, o segmento de jatos comerciais é bem diverso do executivo, mas no Brasil o mercado “é muito ativo”, avalia. “Os empresários brasileiros sabem que tempo é dinheiro”.

Karim explica que a Bombardier quer ampliar rotas executivas do Brasil. “Os executivos estão cada vez mais descobrindo a importância dos vôos “non-stop” (sem escala) para a Europa e outros lugares”, disse Fazal-Karim.

A Bombardier Aerospace detém atualmente 30% do mercado de jatos executivos, com aproximadamente 80 aviões. “Estou muito otimista para os próximos anos”, revelou o executivo.

Na América Latina, a empresa possui cerca de 240 aviões, o que representa uma fatia de 26% do total. No México, primeiro mercado para a Bombardier na região, a empresa conta com 120 jatos executivos. Fazal-Karim acredita que a Argentina também tem potencial “quando a crise no país for superada”.

Outro alvo de interesse seria a Venezuela, disse o executivo.A Bombardier Aerospace, divisão do grupo Bombardier, fornece serviços para as áreas de aviação regional, executiva e para o mercado anfíbio, além de fabricar equipamentos aeronáuticos.

FONTE: Investnews – Fernando Valduga via Investnew – Porto Alegre/RS

Publicidade