Caixa-preta de avião que caiu no Rio é encontrada

185

As duas caixas-pretas do avião bimotor que caiu ontem na serra de São João, no Rio de Janeiro, foram encontradas nesta tarde pela equipe de resgate. Os 19 corpos dos tripulantes e passageiros que estavam a bordo foram retirados do local.

Os cadáveres chegaram por volta das 14h15 no Instituto Médico Legal (IML), no Centro do Rio. Equipe reforçada de médicos-legistas vão iniciar as necrópcias e também os trabalhos de identificação.

Aproximadamente metade dos corpos estão carbonizados e mutilados e, por isso, não poderão ser identificados pelo exame papiloscópico, através das impressões digitais. Será feita inicialmente a identificação das vítimas através da arcada dentária. Os corpos que não tiverem condições de identificação por esse método serão submetidos ao exame de DNA.

Parentes e amigos das vítimas aguardaram a chegada dos corpos hospedados no Hotel Othon, na Avenida Beira Mar, próximo ao Aeroporto Santos Dumont.

Bombeiros de sete destacamentos, entre cidades da Região dos Lagos e Rio de Janeiro, além de técnicos da Defesa Civil, especialistas da Aeronáutica e do Exército, entre outros, continuam com os trabalhos de resgate dos destroços do avião.

De acordo com o coronel Marcos Silva, subcomandante do Corpo de Bombeiros, a aeronanve modelo LET 410, turno-hélice, prefixo PP-FSE, da empresa Team, foi localizada por volta das 3h30 deste sábado. Os destroços estão a 4 km da Via Lagos, altura do km 17, e em uma área de difícil acesso. Para se chegar ao local do acidente, são necessárias três horas de subida em área de densa vegetação.

O avião fazia a rota Macaé-Rio, deixou a cidade às 17h19 desta sexta-feira e tinha pouso previsto para a 18h02 no aeroporto Santos Dumont. Por volta das 17h40, a aeronove foi vista por alguns moradores de Rio Bonito voando muito baixo e em local geralmente fora da rota. Minutos depois, ouviu-se o forte barulho da explosão.

Integrantes da cúpula de diretoria da empresa Team, informaram nesta manhã que o piloto tinha mais de três mil horas de vôo, a aeronave estava em perfeito estado e tinha passado por vistoria há pouco tempo. Técnicos da Defesa Civil ainda não sabem o que motivou o acidente, mas acreditam que o mau tempo pode ter levado o comandante a adotar uma rota alternativa de vôo.

O avião é de fabricação da empresa Let Aircraft, a maior indústria tcheca de aeronaves civis. Esses modelos são utilizados, principalmente, em rotas regionais e servem como alimentadoros de passageiros para grandes companhias aéreas, cujos aviões não podem operar em cidades pequenas. Com dois trpulantes, o avião tem capacidade para 17 ou 19 passageiros em fileiras de três assentos. Segundo a Infraero não há registro de acidentes com o modelo. A empresa opera desde 2001 e faz vôos para Macaé, Búzios, São José dos Campos e Vitória.

FONTE: O Dia – Redação – São Paulo/SP