EADS e Imbel fecham acordo para transferência de tecnologia

147

A EADS – European Aeronautic Defence and Space Company implantará no próximo ano seu primeiro projeto conjunto com a Imbel – Indústria de Material Bélico do Brasil, empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa. O grupo europeu firmou na última quinta-feira (16), em Brasília, um acordo de cooperação entre as duas companhias que garantirá a transferência de tecnologia para a produção do M 9600 da EADS, um sistema de radiocomunicação digital criptografado, baseado na tecnologia Tetrapol, considerado o mais moderno e seguro do mundo.

Com uma política diferenciada, voltada para o desenvolvimento de parcerias locais e transferência de tecnologia, a EADS investirá no próximo ano um milhão de euros na construção de uma linha de produção na fábrica da Imbel no Rio de Janeiro. Na unidade, a EADS instalará um laboratório e equipamentos de produção, além de capacitar as equipes. “Um dos compromissos globais da EADS é investir em empresas locais. Com esse projeto, transferimos tecnologia de ponta, contribuímos para o desenvolvimento do parque industrial e geramos empregos”, afirmou Eduardo Marson, diretor geral da EADS Brasil. Num primeiro momento, deverão ser gerados 50 empregos diretos e 70 indiretos.

O investimento garante ao grupo europeu um parceiro que dará suporte à tecnologia Tetrapol no Brasil. A EADS detém a liderança mundial em sistemas de segurança digital e tem projetos implantados em âmbito mundial em países como França, Espanha, México, República Checa e Cingapura. Gilson Martins, diretor no Brasil da DCS (Defence and Comunication Systems), divisão global do grupo para esse setor, prevê uma presença ainda mais forte no país. “A Imbel já fornece armamento para a Força Nacional de Segurança Pública, o que a torna um padrão tecnológico e uma empresa estratégica nesse setor”, destacou.

Além da ampliação de seu parque industrial, a Imbel poderá alavancar suas vendas no mercado interno e suas exportações. Toda a infra-estrutura oferecida pela EADS habilitará a empresa a prestar qualquer tipo de suporte às redes de telecomunicação digital, inclusive com uma Central de Reparos.

No primeiro momento, a fábrica de materiais para comunicação e eletrônica deverá produzir os terminais Tetrapol (portáteis, veiculares e fixos). A segunda etapa da transferência tecnológica será a fabricação e montagem dos outros componentes.

FONTE: Aviação Brasil / EADS – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade