Emirates define rotas do Airbus A380

222

Maior cliente do Airbus A380, com 58 aeronaves encomendadas, a Emirates anunciou que utilizará o avião em rotas de ultra-longa distância, de Dubai para Nova York, Londres, Sydney e Auckland, respectivamente. Os vôos sem escalas para Nova York começam em 01º de outubro, para Londres em 01º de dezembro e para Sydney e Auckland em 01º de fevereiro de 2009. A configuração interna é de 489 assentos, sendo 14 na Primeira Classe, 76 na Executiva e 399 na Econômica.

Tim Clark, Presidente da Emirates Airline, comenta: “O início das operações com nossos Airbus A380 vai sinalizar o fim de uma longa espera e o começo de uma nova era para a Emirates. Tivemos uma participação integral com a Airbus no desenvolvimento do modelo, desde a prancheta de desenho até a linha de produção. Estamos ansiosos para colocá-los em serviço comercial. Embora estejamos ainda decidindo qual será a primeira rota comercial do A380, nossa intenção, desde o começo, é utilizá-lo em rotas-tronco que apresentam alta demanda. As cidades que anunciamos encaixam-se perfeitamente nos nossos planos”.

Os passageiros podem aguardar novidades promissoras, destaca Tim Clark: “Nossos clientes vão ter uma experiência empolgante nessa aeronave que é o estado-da-arte na indústria do transporte aéreo, especialmente equipada de acordo com as especificações exatas e o padrão de excelência da Emirates. Em breve anunciaremos novidades fascinantes para o serviço de bordo”.

A Emirates receberá este ano os cinco primeiros Airbus A380 de sua encomenda total de 58 aviões. Além das aeronaves configuradas com 489 assentos para vôos de ulta-longa distância, a empresa terá uma versão com 517 assentos para vôos de distância média, com três classes de serviços, e outra com 604 assentos e duas classes de serviços, também para distâncias médias. Gradualmente, a Emirates terá em operação a maior frota desse super-jumbo de dois andares. Sua pintura distinta e suas cores no A380 se tornarão uma imagem familiar para milhões de viajantes em todo o mundo, até o final da década.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade