Governo Brasileiro compra 2 Embraer 190

151

A Embraer assinou hoje contrato para a venda de dois jatos EMBRAER 190 ao governo brasileiro, cuja finalidade será o transporte de autoridades. As aeronaves serão configuradas especialmente para este fim e serão operadas pelo Grupo de Transporte Especial (GTE) da Força Aérea Brasileira (FAB), que serve à Presidência da República, ministérios, secretarias da Presidência, autoridades dos poderes legislativo e judiciário.

“Será um orgulho e uma honra para todos os empregados da EMBRAER ver nosso EMBRAER 190 voando nas cores da República Federativa do Brasil”, afirmou o Diretor-Presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado.“Temos certeza de que os atributos que vêm assegurando o sucesso desse modelo de aeronave em todo o mundo – conforto, segurança, desempenho, tecnologia avançada e economicidade – contribuirão para a excelência da operação do GTE no cumprimento de sua missão no âmbito da Força Aérea Brasileira e do Estado Brasileiro.”

As aeronaves serão configuradas com sistemas especiais de comunicação, visando um nível máximo de segurança, além de uma área privativa para o Presidente da República, incluindo espaço para reuniões. Terão, ainda, capacidade para transportar cerca de 40 passageiros com um alcance que abrange toda a América do Sul, a partir de Brasília, oferecendo, assim, grande flexibilidade operacional para as missões às quais se destinam.

“A Embraer é referência na indústria mundial aeronáutica e a compra dessas novas aeronaves está em consonância com os objetivos da política de desenvolvimento industrial do país”, disse o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito, Comandante da Aeronáutica.

A FAB já opera outros modelos de aeronaves de transporte de fabricação Embraer, como o ERJ 145, o Legacy 600 e o EMB 120 Brasilia. Além dessas, também integram a frota aeronaves militares de projeto e fabricação nacional, como o AMX, Tucano, Super Tucano e os aviões de inteligência, vigilância e reconhecimento (Intelligence, Surveillance and Reconnaissance – ISR) operados no âmbito do Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM).

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade