Passageiros estão livres de mostrar RG para embarcar em avião

2088

O DAC (Departamento de Aviação Civil) começa, aos poucos, a afrouxar as medidas de segurança adotadas nos aeroportos depois dos atentados terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos.

O departamento suspendeu hoje a obrigação de apresentar um documento de entidade na hora de entrar na sala de embarque. Agora, a identificação voltará a ser feita como era antes dos atentados, ou seja, apenas no check-in.

Segundo a Infraero _que administra os aeroportos brasileiros_, a exigência vinha causando filas e reclamações dos passageiros.

A Infraero informou que a liberação da identificação momento do embarque não vai aumentar o risco de incidentes nos vôos. De acordo com a empresa, estão em vigor outras medidas de segurança _como monitoramento por câmeras de vídeo_, que garantem a segurança dos vôos sem prejudicar os passageiros.

No mês passado, o DAC liberou a utilização de aparelhos de telefone celulares dentro dos aviões. O uso do celular estava proibido nas aeronaves desde 2000. Em 1996, o DAC chegou a conduzir estudos para verificar se o uso do celular em aviões provocou a queda de um avião da TAM. Mas os estudos não encontraram nenhum indício que pudesse relacionar o acidente ao uso do telefone.

A utilização do celular nos aviões, no entanto, não está totalmente liberada. Os aparelhos só poderão ser utilizados pelos passageiros enquanto o avião estiver parado, com as portas abertas e motores desligados. Fora dessas circunstâncias, o uso continua proibido.

Segundo o DAC, foram feitas análises técnicas que comprovaram que o uso do celular não afeta o sistema de navegação dos aviões enquanto a aeronave está parada e com as portas abertas.

O uso do celular com o avião fechado, mesmo que parado, pode provocar problemas no sistema de comunicação da aeronave. Segundo o DAC, o avião fechado se transforma numa espécie de cilindro e, nessa situação, o sinal do celular pode utilizar a antena da aeronave para sair e provocar problemas de vôo.

FONTE: Folha de São Paulo – Redação – São Paulo/SP

Publicidade