Serviço de atendimento da Lufthansa a passageiros completa 40 anos

128

Há exatos 40 anos, 24 funcionárias da Lufthansa em Frankfurt compareceram ao trabalho como “Chapeuzinhos Vermelhos”. Sua tarefa era auxiliar e acompanhar “mães com crianças, menores desacompanhados, passageiros idosos e portadores de necessidades especiais, especialmente na aérea do aeroporto”, informava um boletim de imprensa da Lufthansa em 1968. Desde então, o serviço de atendimento tornou-se parte integrante e indispensável aos serviços Lufthansa prestados em terra.

Quando, durante a entrevista coletiva realizada por ocasião do lançamento do serviço de atendimento em 1968, a Lufthansa apresentou um chapeuzinho vermelho como distintivo do novo serviço, um jornalista presente espontaneamente batizou as respectivas funcionárias de “Chapeuzinhos Vermelhos”. Embora o chapeuzinho vermelho tenha sido susbtituido por buttons vermelhos presos à lapela dos uniformes, o simpático apelido se manteve e tornou-se sinônimo de atendimento solícito e individual.

Atualmente, só em Frankfurt há mais de 400 funcionárias Lufthansa cuidando do bem-estar de menores desacompanhados, pessoas idosas e pessoas doentes ou portadores de necessidades especiais. Só em 2007, cerca de 461.000 passageiros utilizaram o serviço de atendimento – destes, 54.500 eram menores desacompanhados.

Passageiros que precisam de ajuda dispõem de balcões de check-in em separado. De lá, eles são acompanhados até o portão de embarque, passando pelos controles de segurança e de passaporte. Passageiros idosos ou com dificuldades para andar são levados ao respectivo portão de embarque em carros elétricos. Salas de espera próprias com revistas, jornais e seleção de bebidas encurtam o tempo de espera até a partida. Uma grande oferta de brinquedos, cadernos para colorir e jogos de computador mantém também os menores desacompanhados ocupados enquanto esperam. O serviço de atendimento Lufthansa é oferecido aos seus clientes em mais de 30 idiomas diferentes.

O serviço custa 40 euros por trecho de ida ou volta no caso de um vôo nonstop dentro da Europa. Se a viagem não for nonstop e exigir uma baldeação, a tarifa é de 80 euros. Este preço também é cobrado nos vôos intercontinentais, como os que ligam São Paulo a Frankfurt ou Munique. Em vôos domésticos, a tarifa unitária é de 40 euros por trecho de ida ou volta, independentemente de se tratar de um vôo direto ou com baldeação. A companhia não cobra taxa para menores desacompanhados, no caso de viagens que se iniciam no Brasil, porque as crianças pagam tarifa de adulto. Nas viagens que se iniciam na Europa, com destino ao Brasil, é cobrada a taxa na ida e na volta.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP