Sita se compromete com ações da indústria aérea nas mudanças climáticas

234

A Sita, empresa de propriedade das maiores companhias aéreas do mundo, é o primeiro provedor de tecnologia da informação (TI) para a indústria de transporte aéreo a se comprometer publicamente com as ações da indústria aérea pela redução de seu impacto nas mudanças climáticas em curso no planeta.

Francesco Violante, presidente da Sita, assinou, em 19 de junho, um compromisso com ações para a redução nas mudanças climáticas no Encontro de Tecnologia da Informação promovido pela Sita anualmente. Desse evento participam líderes da indústria de transporte aéreo que são chamados a fazer uma revolução no modo de trabalho da indústria de transporte aéreo para atingir o consumo de carbono neutro.

Ele disse: “Nós fizemos um grande esforço para nos tornarmos o primeiro facilitador web para a indústria global e para eliminarmos o uso de papel para passageiros e carga. A comunidade de transporte aéreo agora se reúne para reduzir significativamente seu impacto sobre o clima.”

“Governos, empresas aéreas, aeroportos, gerenciamento de tráfego aéreo e provedores de TI devem se unir para dar um salto quântico, reduzindo imediatamente 12% das emissões de carbono através da eliminação ineficiências aeroespaciais e aeroportuárias. Investimentos em novas aeronaves e otimização no gerenciamento de rotas ajudarão a atingir esse objetivo. A operação de vôo e a melhor cooperação de todos os participantes do negócio, através do sistema de tomada de decisão colaborativa, serão a chave para esse esforço.”

Giovanni Bisignani, presidente e diretor geral da Iata (Associação Internacional de Trasnporte Aéreo), disse:” A aviação é responsável por 2% da emissão global de carbono. Nosso objetivo é manter os enormes benefícios da aviação, eliminando seus impactos sobre o clima. A visão da Iata é liderar o crescimento do carbono neutro e atingir futuramente o patamar de carbono zero, um benchmark a ser seguido por outras indústrias. Para que isso aconteça, todas as indústrias parceiras devem aderir.

“Os quatro pilares estratégicos da Iata – investimentos em tecnologia, aviões voando de forma eficiente, infra-estrutura eficiente construída e implementação de medidas econômicas positivas – são agora um compromisso da indústria. O uso de tecnologia é o primeiro pilar. Eu felicito a Sita pelo seu grande time. A utilização de tecnologia da informação representa um ponto crítico para a otimização eficiente de combustível, através do gerenciamento do tráfego aéreo, do tempo de rotação de vôo e do planejamento de rotas.”

Violante também chamou a atenção para a iniciativa da Sita de prover serviços de tecnologia da informação que já são conceitualmente ‘verdes’. Em um primeiro passo, a Sita, que confia as informações massivas de suas operações diárias a centros de dados, estará reduzindo seu número de servidores de 2 mil para 600, o que representa uma economia de 1MW por ano, mais de 33 milhões de libras de dióxido de carbono nos próximos 30 anos.

As ações da indústria aérea pela redução de seu impacto nas mudanças climáticas em curso no planeta foram acordadas em abril deste ano no 3º. Encontro de Aviação e Meio Ambiente e suporta o quarto pilar estratégico da Iata e da Organização Internacional da Aviação Civil de combater as mudanças climáticas através do uso de novas tecnologias, otimização de combustível, melhor gerenciamento do tráfego aéreo e medidas econômicas efetivas.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade