Varig nega que haverá estatização

151

O presidente da Varig, Carlos Luiz Martins, negou que a empresa será estatizada. Martins esteve hoje com o vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, que afirmou que a Varig será temporariamente estatizada com a troca dos créditos que possui na empresa por capital acionário.

“Não será absolutamente intervenção, nem estatização. Estas premissas já estão afastadas”, garantiu Martins ao sair da reunião. Porém, o presidente da companhia não confirmou se a reestruração será feita com a troca de crédito por capital.

Martins mostrou-se entusiasmado com o projeto apresentado por seus auditores e com a receptividade do governo. Os detalhes das reestruturação, segundo ele, não serão divulgados ao público antes que a diretoria da Varig converse com seus outros credores.

Já está marcada uma reunião na próxima semana, agendada por Alencar, que contará com a participação das empresas que possuem créditos a receber da companhia aérea. A expectativa é a de que em no máximo quatro meses exista um posicionamento de todos os credores com relação ao projeto apresentado hoje.

O executivo afirmou que existe uma forte possibilidade de que um acerto de contas com o governo faça parte do momento final de negociações.Embora a Varig deva a empresas estatais, a empresa também tem créditos a receber do próprio governo, o que pode ajudar em um futuro ajuste com os credores.

Sobre o cancelamento das rotas da Vasp, o presidente da Varig, disse que não há nenhum plano para absorver as linhas da concorrente. “Não há um comprometimento de nenhuma empresa no sentido de assumir as rotas da Vasp”, esclareceu.

A empresa ainda irá estudar a possibilidade de engrossar as passagens já emitidas pela companhia aérea presidida por Wagner Canhedo.

FONTE: Aviação Brasil / Investnews – Investnews – São Paulo/SP

Publicidade